IV. O PERFIL DOS INVESTIMENTOS SOCIAIS CORPORATIVOS

13. Estratégias de atuação adotadas para a condução dos projetos sociais

Em 2020, enquanto 54% das empresas realizaram os seus investimentos sociais por meio de terceiros, 77% dos institutos se envolveram diretamente na execução dos seus projetos. É interessante observar que houve uma modificação na atuação das empresas, especificamente. Diferentemente das três últimas edições da pesquisa BISC, em 2020 cresceu o percentual de empresas que adotam, ao mesmo tempo, uma postura de terceirização da execução de algumas ações sociais e internalização da execução de outras. De toda a forma, se faz necessário investigar, em próximas edições, se esse movimento se deu pela (I) condição excepcional de mobilização das estruturas internas das empresas para ações sociais de enfrentamento à COVID-19 e/ou (II) tal resultado é fruto da intensificação do movimento ESG nas corporações.

14. Recursos investidos, por modalidade de atuação

Ainda que se faça necessário investigar, com a Rede BISC, os impactos do movimento ESG no que se refere a terceirização (e, portanto, fomento a outras organizações) dos investimentos sociais, outras pesquisas* já indicam que foi intensificada a cobrança da sociedade junto as corporações para que elas se posicionem socialmente e operacionalizem ações concretas neste sentido, particularmente com a significativa relevância conquistada pela temática ESG. Assim, o financiamento de projetos próprios com execução de terceiros, aumentou consideravelmente em 2020 – 77% dos recursos alocadas pelas empresas orientaram-se desta forma (em 2018, por exemplo, esse percentual era de 11%).

Na edição anterior da pesquisa BISC, onde se investigou o investimento social corporativo na mitigação dos efeitos negativos da pandemia, ficou claro o posicionamento das empresas e institutos/ fundações empresariais no fomento à organizações da sociedade civil que atuam na ponta, ou seja, em contato direto com beneficiários de ações sociais, particularmente pelo conhecimento, tecnologia social e habilidades interacionais/ de escuta com as comunidades pobres, mais impactadas pela COVID-19.

* BOFINGER, Yannik; HEYDEN, Kim J .; ROCK, Björn. Responsabilidade social corporativa e eficiência de mercado: evidências de medidas ESG e de avaliação incorreta. Journal of Banking & Finance , p. 106322, 2021. 

*CONE. PORTER NOVELLI. How to build deeper bonds, amplify your message and expand the consumer base. 2019.

15. Relações das empresas com as organizações sem fins lucrativos

A sociedade civil organizada ganhou espaço, em 2020, junto à agenda social corporativa, conforme apontado nos dois tópicos anteriores. E isso também se manifesta no número de organizações privadas sem fins lucrativos que foram envolvidas pelas empresas e institutos/ fundações empresariais na realização de seus investimentos sociais – 2.056* organizações, número 3 vezes superior ao visto em 2019.

Do total de investimentos sociais de 2020, 38% foram repassados diretamente às organizações sem fins lucrativos – cerca de R$ 1,9 bilhões – valor inédito na série histórica da pesquisa BISC. Os valores de repasse têm, ao longo dos últimos anos, mudado de perfil. Valores de até R$ 40.000 vinham ganhando espaço junto a Rede BISC, apresentando crescimento contínuo e, em 2019, congregavam mais da metade dos recursos repassados. Contudo, em 2020 há uma mudança considerável no perfil e valores intermediários – de R$ 40 mil a R$ 140 mil – ganham espaço, aumentando 20 p.p. em 2020, em relação a 2019. De maneira correlata, também ganha espaço valores altos (mais de R$ 140 mil), que apresentaram crescimento de 11 p.p. no último ano, em relação a 2019. Vale investigar em edições futuras o quanto desta mudança pode ser atribuída às características de atuação emergencial durante a pandemia

* Os resultados referentes ao número de organizações apoiadas e aos valores transferidos podem estar subestimados uma vez que nem todas as empresas forneceram tais informações.

16. Alinhamento dos investimentos sociais aos negócios: expectativas de retorno

Desde o início da última década o BISC acompanha o movimento dos investimentos sociais alinhados aos negócios. Observou-se o crescente posicionamento das empresas nesse sentido e, pode-se dizer que 2020 trouxe a consolidação do processo de alinhamento dos investimentos sociais aos negócios, ressaltando a preocupação do grupo em definir sua pauta de atuação em sintonia com os propósitos de seus stakeholders.

Tanto em 2017, quanto nesse último ano, o BISC levantou qual a expectativa das empresas em relação ao retorno do alinhamento dos investimentos sociais aos negócios. Tendo em vista a intensidade do movimento, não surpreende que cresceu a expectativa por retornos operacionais (7 p.p.), fortalecimento da imagem da empresa (crescimento de 13 p.p., somando expectativas altas e muito altas) e o reconhecimento público (crescimento de 25 p.p, somando expectativas muito altas e altas).

Pode-se constar, também, que hoje já não se espera tão intensamente, enquanto retorno, por impacto nas vendas (a expectativa baixa cresceu 10 p.p. e nenhuma empresa acusou expectativa muito alta ou alta), mitigação de riscos (uma vez que somando expectativa muito alta e alta, houve uma queda de 28 p.p.) e fidelidade dos consumidores (queda de 9 p.p., somando expectativas muito altas e altas).

OBS: parte 1

OBS: parte 2

17. Alinhamento dos investimentos sociais nas políticas públicas: caminhos para a incidência

A pandemia revelou o esforço de aprofundamento das empresas em pautas de e com interesse público, alinhando seus investimentos sociais a políticas públicas já instituídas. Nesse sentido, questionou-se a Rede BISC sobre as prioridades para influenciar políticas públicas nos próximos dois anos (2022 e 2023). Dentre as estratégias, destaca-se a participação indireta por meio do apoio e fortalecimento de organizações sociais ou das comunidades para que elas influenciem as políticas públicas (56% da Rede BISC prioriza grandemente essa estratégia).

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Insira seu e-mail e receba conteúdo sobre o campo do investimento social corporativo!

Nossas redes

_

A COMUNITAS

A Comunitas é uma organização da sociedade civil especializada em modelar e implementar parcerias sustentáveis entre os setores público e privado, gerando maior impacto do investimento social, com foco na melhoria dos serviços públicos e, consequentemente, da vida da população.

Exceto onde indicado de outra forma, todos os conteúdos disponibilizados neste website estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

Copyright 2021. All Rights Reserved.

Desenvolvido por MySystem