VII – ESG e alinhamento dos investimentos sociais ao negócio

18. Expressiva maioria da Rede BISC busca alinhar os investimentos sociais ao negócio e percebe resultados
Todas as empresas declararam já incorporar os princípios e padrões ESG nas suas estratégias de atuação. Ademais, ampla maioria da Rede BISC possui agenda direcionada para alinhar os investimentos sociais aos negócios, caso de 89% das empresas e de 86% dos institutos e fundações. Os dados também revelam que resultados positivos do alinhamento ao negócio já vêm sendo observados, especialmente no que se refere à sustentabilidade nos negócios, relacionamento com stakeholders, aproximação com as comunidades, fortalecimento da imagem da companhia e licença social para operar, importância que varia de acordo com o setor da companhia. Por outro lado, há pouco ou nenhum resultado do alinhamento em variáveis como inovação tecnológica e acesso a novos mercados.

19. Iniciativas de integração das áreas na gestão de ações com impacto social são disseminadas, mas em diferentes graus de intensidade
Ampla maioria da Rede BISC (90%) indica haver iniciativas para promover uma integração na gestão das ações que possuem impactos sociais, mas há diferenças quanto aos graus de intensidade desse movimento. Para 40%, há uma diretriz explícita na empresa para essa integração, enquanto para 30% há recomendações da direção para explorar as complementaridades, ao passo que para 20% essa integração é realizada de forma espontânea. Para os 10% que ainda não realiza a integração, ainda assim reconhece-se a necessidade. Os dados coletados revelam que as organizações vêm trabalhando de forma mais integrada principalmente na governança dos investimentos sociais (70%), na elaboração dos relatórios corporativos e no planejamento das atividades a serem desenvolvidas (60%).

 

20. Rede BISC acredita que estará integrada em questões ESG em até 5 anos
Ao serem perguntados quando questões ESG estarão integradas nos diferentes departamentos da empresa, 80% dos respondentes declararam que esta integração deverá ocorrer num prazo de até 5 anos. Setorialmente, a indústria reportou perspectiva até mais otimista, com 40% dos respondentes do setor declarando esperar que a integração ocorra até o ano seguinte. No setor de serviços, a grande maioria dos respondentes (80%) declararam esperar essa integração para um horizonte entre 2 e 5 anos.

 

21. Mensuração de fatores ‘S’ é indicada como de maior complexidade
A Rede aponta que a mensuração dos fatores ESG é complexa, com destaque para a complexidade da mensuração de fatores “S” – justamente onde o ISC pode colaborar de maneira decisiva. Essa complexidade é percebida de maneiras distintas entre os setores. A complexidade do S foi relativamente mais indicada pelo setor de serviços (40% dos respondentes), enquanto a indústria indicou o componente social em 17% das respostas. A indústria reconheceu maior complexidade nos fatores ambientais (33% dos respondentes).

 

22. Maior parte da rede BISC acredita que agenda ESG pode impulsionar o orçamento para o ISC
70% da Rede BISC aponta que a agenda ESG pode potencializar os recursos ao investimento social corporativo, em linha com a perspectiva de alinhamento da atuação social das empresas aos negócios e da aproximação das áreas sociais dos espaços de decisão, tornando-as cada vez mais estratégicas. Para 30%, o ESG não deverá ser fator preponderante nem para a ampliação nem para a redução de recursos destinados ao ISC, resposta em parte dada por organizações que declararam já ter consolidado esse processo.

 

23. Rede BISC demonstra incertezas quanto à consolidação de padrões para os relatórios de sustentabilidade nos próximos anos
Todas as empresas declararam utilizar indicadores ESG em seus relatórios de sustentabilidade e, para 64% delas, a leitura é que a quantidade de dados ESG disponibilizados publicamente vem aumentando, em linha com os progressos consideráveis na consolidação de padrões para os relatórios de sustentabilidade. Para os anos seguintes, no entanto, a Rede está relativamente dividida quanto às perspectivas para a evolução dessa consolidação. Para 63% da Rede, a expectativa é que os relatórios fiquem mais enxutos, mas há diferentes leituras quanto aos drivers que devem influenciar esse enxugamento, seja pela consolidação de diferentes padrões (50%) ou pela escolha de um único padrão (13%). Para 38%, no entanto, a perspectiva é que os relatórios fiquem ainda mais extensos, à medida que surjam novos requisitos para serem respeitados.

 

24. Alinhamento com ODSs é elevado na Rede BISC
Metade da Rede BISC declara ter incorporado a perspectiva dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável na sua agenda de atuação social e 40% declaram que a agenda interna está sendo direcionada nessa direção. Em linha com sua atuação diversificada, a Rede oferece cobertura para os 17 ODS. A Rede tem atuação destacada nos ODS 8 e ODS 10, seja empresas ou seus institutos e fundações.

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Newsletter

Insira seu e-mail e receba conteúdo sobre o campo do investimento social corporativo!

Nossas redes

_

A COMUNITAS

A Comunitas é uma organização da sociedade civil especializada em modelar e implementar parcerias sustentáveis entre os setores público e privado, gerando maior impacto do investimento social, com foco na melhoria dos serviços públicos e, consequentemente, da vida da população.

Exceto onde indicado de outra forma, todos os conteúdos disponibilizados neste website estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

Copyright 2022. All Rights Reserved.

Desenvolvido por MySystem