#NaMídia – Investimento social recua em 2021, mas ganha “resiliência”

Total de recursos investidos por empresas e fundações filantrópicas foi 41% superior ao registrado em 2019
Por Denise Neumann — Para o Valor, de São Paulo

A mobilização da sociedade civil para combater a pandemia da Covid-19 pode ter deixado como legado para o país um novo patamar de investimento social corporativo. O volume total de recursos alcançou R$ 4,1 bilhões em 2021, segundo a pesquisa Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC), a primeira a trazer resultados consolidados do ano passado. Embora indique queda de 27% em
relação a 2020 (recorde da série em função das mobilizações de combate aos efeitos da pandemia), o volume representa alta real de 41% na comparação com 2019.

A mesma pesquisa apontou que 55% dos investidores sociais pretendem manter os recursos investidos nos próximos anos e outros 27% planejam aportes maiores. “São esses 82% que nos deixam otimistas quanto a um novo patamar em torno de R$ 4 bilhões ao ano”, explica Patrícia Loyola, diretora da Comunitas, organização da sociedade civil que atua com investimento social privado e é responsável pelo levantamento. Antes da pandemia, o investimento social privado no Brasil girava em torno de R$ 3 bilhões ao ano. Para Loyola, 2021 marcou a “resiliência” do investimento social privado.

89% das empresas já alinham o perfil do investimento social à estratégia do seu negócio

O levantamento de 2021 consolida mudanças no perfil do investimento social privado. Por origem da filantropia, ele mostra, pela primeira vez, a indústria na frente do setor de serviços e uma participação recorde dos recursos incentivados (29% do total frente a uma média anual entre 20% e 25%). Por setor apoiado, o balanço confirma a redução nos aportes para a área de saúde, mas em percentual inferior ao esperado, e a queda no número de organizações apoiadas pelos investidores sociais, o que reverte a pulverização de 2020.

Loyola chama atenção, contudo, para algumas características que marcam a evolução do investimento social privado, entre elas o alinhamento cada vez mais expressivo da atuação social à área de negócio do investidor e o peso crescente da agenda ESG (sustentabilidade, social e governança na sigla em inglês). Ela cita como exemplo projetos de moradia apoiados por construtoras e siderúrgicas, e programas
de empreendedorismo comunitário e formação de jovens por empresas de serviços que, por característica da operação, têm atuação pulverizada. Entre as empresas, 89% dos investidores já fazem esse alinhamento entre o social e o negócio e as demais 11% têm interesse em se movimentar nessa direção. Nos institutos e fundações, o percentual é de 86%, mas os demais 14% não planejam fazer essa
migração do foco do investimento social. Por outro lado, para 70% dos investidores da rede BISC, o compromisso com a pauta ESG tende a levar a um aumento dos recursos do investimento social.

Em 2020, auge do combate à pandemia, a área de saúde concentrou 43% do investimento social corporativo de R$ 5,6 bilhões (em valores atualizados). Em 2021, essa participação caiu para 12%, mas ficou bem acima dos históricos 4%, pontua Loyola. “A boa notícia para a saúde é que esse setor conseguiu reter parte dos novos recursos que recebeu”, avalia a diretora da Comunitas, ressaltando que é preciso esperar para entender qual será o padrão dos próximos anos.

Por origem, os recursos que a indústria destina são bastante pulverizados (21% em patrocínios culturais e 16% para a saúde no ano passado), enquanto o setor de serviços aposta fortemente na educação (68% do total no ano passado), seguido pela saúde (8%). Outro dado que surpreendeu os pesquisadoras da Comunitas foi o crescimento dos recursos incentivados, que se refletiu no aumento dos recursos
que a indústria destinou ao patrocínio dos eventos culturais. Foram R$ 451 milhões, aumento de 143% sobre 2020, talvez como resposta a uma demanda reprimida de projetos durante a pandemia.

Em 2020, em função da covid-19, que afetou fortemente as comunidades periféricas e a população mais vulnerável, ocorreu uma pulverização inédita dos repasses dos recursos da filantropia. Os investidores da rede BISC apoiaram 2.056 organizações, o triplo das 613 apoiadas em 2019. Em 2021, contudo, houve uma reconcentração e 795 organizações receberam recursos. Loyola pondera que há uma tendência de reforço de organizações intermediárias, que por sua vez repassam recursos e apoiam projetos de grupos menores, o que atende preocupações das empresas e institutos quanto ao compliance e à necessidade de responder pelo uso dos recursos. Por outro lado, organizações comunitárias e periféricas tinham a expectativa de que, após serem acionados durante a pandemia por estarem muito
próximas da população-alvo de vários projetos sociais, pudessem manter o espaço conquistado na atração de recursos da filantropia.

O investimento social da rede BISC representou 0,69% do lucro bruto das empresas. Embora menor que o de 2020 e também levemente inferior à media dos anos anteriores, esse percentual representou a menor distância em relação ao benchmarking dos Estados Unidos, que foi de 0,78% em 2021.

Outra característica crescente do investimento social tem sido o de trabalhar para influenciar políticas públicas. Duas estratégias foram mais citadas nesse campo de atuação: participação direta no apoio à gestão pública de políticas públicas (40%) e participação direta na articulação de parcerias público-privadas para o desenvolvimento de ações de cunho social (60%).

*Texto originalmente publicado pelo Valor Econômico

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Newsletter

Insira seu e-mail e receba conteúdo sobre o campo do investimento social corporativo!

Nossas redes

_

A COMUNITAS

A Comunitas é uma organização da sociedade civil especializada em modelar e implementar parcerias sustentáveis entre os setores público e privado, gerando maior impacto do investimento social, com foco na melhoria dos serviços públicos e, consequentemente, da vida da população.

Exceto onde indicado de outra forma, todos os conteúdos disponibilizados neste website estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

Copyright 2022. All Rights Reserved.

Desenvolvido por MySystem