OS DESAFIOS DOS PROGRAMAS DE VOLUNTARIADO

Como caminham os programas de voluntariado?

Após o recuo observado no ano anterior, os programas de voluntariado começam a se recuperar. A comparação dos resultados de 2017 e 2018 ilustram alguns dos avanços alcançados:

 

  • Nos últimos dois anos, o número de colaboradores envolvidos nos programas de voluntariado subiu de 36.316 para 41.732, o que equivale a um aumento de 15%.
  • A proporção de colaboradores das empresas que participam dos programas de voluntariado aumentou de 7% para 8%.
  • O volume de recursos investidos em programas de voluntariado foi da ordem de R$ 11,6 milhões, o que representa um aumento de 12%.
  • Quase dobrou o percentual de empresas nas quais a maior parte das lideranças participa das atividades voluntárias: passou de 11% para 21%.
  • O percentual de empresas que consideram que os programas de voluntariado foram muito bem-sucedidos SUBIU de 9% PARA 33%.
  • Entre as iniciativas que foram mais fortalecidas, no último ano, destacam-se: “Atividades em Grupo Propostas pela Empresa”; “Dia do Trabalho Voluntário”; e “Formação de Redes de Colaboração entre Voluntários”

O que motiva a atuação voluntária dos colaboradores?

Na percepção dos gestores sociais, são a gratificação pessoal, a crença na causa e o apoio da empresa, que levam os colaboradores a se engajarem nos programas corporativos de voluntariado. O grupo destaca a preferência dos voluntários pelo atendimento a crianças, adolescentes e jovens, e por temas relacionados à educação, ao estímulo ao empreendedorismo e à proteção do meio ambiente, observando-se uma forte aderência ao perfil de atuação das próprias empresas.

 

Recentemente, quais as principais dificuldades enfrentadas pelas empresas para garantir o bom desempenho dos programas de voluntariado?

Chama atenção o fato de que as empresas não identificam grandes dificuldades para desenvolver seus programas de voluntariado. Nos últimos dois anos, os principais desafios enfrentados pelo grupo – assinalados como alto ou muito alto, por menos de 40% delas – foram relacionados: à dispensa dos colaboradores no horário de expediente; à criação/manutenção dos Comitês de colaboradores para a gestão dos programas; e a processos de reestruturação interna, os quais podem resultar em certa paralisação de programas dessa natureza.

 

Qual a percepção das empresas sobre benefícios e riscos dos programas de voluntariado?

Críticas eventuais aos programas de voluntariado corporativo não são endossadas pela maioria dos participantes do BISC. Pelo contrário, a percepção generalizada é a de que os benefícios são muito relevantes e os riscos insignificantes. Assim é que, mais de dois terços das empresas concorda totalmente com a afirmação de que o trabalho voluntário traz gratificação pessoal e contribui para o crescimento profissional dos seus colaboradores. Por outro lado, a maior parte delas discorda, por exemplo, da crítica de que o trabalho desenvolvido em horário de expediente não pode ser considerado como voluntário, ou que ele sobrecarrega demais os colaboradores.

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Insira seu e-mail e receba conteúdo sobre o campo do investimento social corporativo!

Nossas redes

_

A COMUNITAS

A Comunitas é uma organização da sociedade civil especializada em modelar e implementar parcerias sustentáveis entre os setores público e privado, gerando maior impacto do investimento social, com foco na melhoria dos serviços públicos e, consequentemente, da vida da população.

Exceto onde indicado de outra forma, todos os conteúdos disponibilizados neste website estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

Copyright 2021. All Rights Reserved.

Desenvolvido por MySystem