BISC 2018: Investimentos sociais brasileiros mantém patamar e distribuição está mais uniforme

Mesmo operando em situações adversas, as empresas do BISC se esforçaram para preservar os programas em benefício da sociedade, sinalizando seu compromisso com a causa social.

Os dados demonstrados no último relatório Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC), lançado em dezembro, merecem ser comemorados: em 2017, as empresas do BISC mantiveram os investimentos sociais no patamar de R$ 2,4 bilhões, mesmo com o cenário econômico desfavorável dos últimos anos.

Mas ampliação dos investimentos não foi generalizada

Mesmo com a manutenção dos investimentos, houve movimentos diferentes dentro do grupo BISC, resultado de efeitos diferenciados da conjuntura econômica nos diferentes ramos de negócios.

Leia mais: Bate-Bola | Superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann aborda investimentos sociais corporativos na educação

Cerca de 60% das empresas reduziram seus investimentos sociais, sendo que em 23% delas a redução foi superior a 25%, na comparação com os valores aplicados em 2016. Porém, o acréscimo ocorrido nas demais empresas e fundações integrantes do grupo compensou a redução.

Medidas adotadas para combater a recessão e engatar um processo de recuperação da economia evidenciam, de forma mais clara, o impacto diferenciado da economia brasileira no total dos investimentos sociais.

Fonte: BISC 2018

 

Investimentos sociais mais distribuídos

Outra notícia que merece destaque é a distribuição espacial mais equilibrada dos investimentos sociais do grupo. Nas primeiras edições da pesquisa BISC era nítida a forte concentração dos recursos nas regiões mais desenvolvidas do país. Em 2009, por exemplo, mais da metade dos recursos (52%) foram alocados sobretudo, no Sudeste e Sul. Já em 2017, tal percentual se reduziu para 29%, ficando semelhante ao valor investido nas regiões Norte e Nordeste – o que torna os investimentos menos concentrados regionalmente.

Leia mais: Gerente geral do Instituto Votorantim, Rafael Gioielli aborda investimento social corporativo para desenvolvimento territorial

O motivo? 75% das empresas e 57% dos institutos ansiaram focar o atendimento nas demandas das comunidades instaladas no entorno dos empreendimentos econômicos.

 

Fonte: BISC 2018

 


 

Para saber mais sobre tendências e desafios do investimento social corporativo brasileiro, clique no banner e faça o download do Destaques BISC 2018.

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Newsletter

Insira seu e-mail e receba conteúdo sobre o campo do investimento social corporativo!

Nossas redes

_

A COMUNITAS

A Comunitas é uma organização da sociedade civil especializada em modelar e implementar parcerias sustentáveis entre os setores público e privado, gerando maior impacto do investimento social, com foco na melhoria dos serviços públicos e, consequentemente, da vida da população.

Exceto onde indicado de outra forma, todos os conteúdos disponibilizados neste website estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

Copyright 2022. All Rights Reserved.

Desenvolvido por MySystem