Logo Comunitas

A pesquisa BISC foi lançada na última semana reunindo diversos especialistas para debater os dados e perspectivas para o horizonte dos investimentos privados.

Hoje, no Dia do Voluntariado, vamos contar por que cada dia mais empresas apostam em programas de voluntariado como tendência para desenvolvimento dos funcionários, da comunidade e da própria empresa.

Na última década, segundo a pesquisa Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC) 2017 – que realizou uma retrospectiva dos caminhos percorridos pelas empresas do grupo, no campo social, desse período – o número de colaboradores envolvidos nos programas de voluntariado das empresas passou de 41.000 para 62.842. Este ano, a pesquisa abrangeu o universo de 268 empresas e 18 institutos e fundações empresariais.

Além disso, cresceu entre as empresas a percepção de que os programas de voluntariado são muito bem-sucedidos.

Fonte: BISC 10 anos

 

Ainda segundo o BISC, amadureceu o entendimento de que os colaboradores e as empresas se beneficiam dos programas de voluntariado. Hoje, 100% das empresas consideram que eles contribuem para a melhoria nas relações com as comunidades; em 2012, esse percentual era de 81%. Por outro lado, 100% discorda totalmente da afirmação de que o trabalho voluntário “não traz benefícios para os colaboradores” – esse percentual era de 74%.

Além da melhoria da relação com o entorno, que paira como principal benefício segundo as lideranças das empresas integrantes do grupo BISC, existem diversas outras vantagens no desenvolvimento e estímulo da criação e manutenção de programas de voluntariado corporativo. A contribuição para a melhoria de vida e o estreitamento da relação com os moradores, o retorno em imagem positiva para a empresa, bem como o desenvolvimento de habilidades dos funcionários – como liderança, comprometimento e trabalho em equipe –, também elevam o programa de voluntariado à uma importante iniciativa para geração de valor.

Fonte: BISC 10 anos

 

 

O otimismo em relação aos resultados não altera, no entanto, o reconhecimento das dificuldades enfrentadas para manter e fortalecer os programas de voluntariado. Pelo contrário, hoje as empresas estão mais preocupadas em avaliar sua atuação no campo social e percebem, com mais nitidez, a dificuldade para medir os resultados do trabalho voluntário, por exemplo.

Fonte: BISC 10 anos

 

 

Clique aqui e confira os destaques da pesquisa BISC!

Tem interesse em conhecer a pesquisa BISC? Entre em contato conosco.

Últimas notícias:

Comunitas apresenta relatório BISC 2019 e lança plataforma digital sobre investimento social

A Comunitas apresenta o novo perfil do investimento social corporativo brasileiro, com o...

Com participação da Comunitas, publicação reúne artigos científicos sobre a temática do terceiro setor

A pesquisa explicita a complexidade que o debate sobre a atuação das OSCs tem assumido no Brasil....

Parceira internacional da Comunitas, CECP completa 20 anos de história

Você sabia que o BISC foi a primeira  iniciativa da Comunitas a olhar de maneira transversal para...

BISC reúne executivos sociais para debater caminhos para qualificação dos investimentos sociais corporativos

Durante encontro, também foram apresentados dados preliminares do relatório 2019. A Comunitas...

Em encontro, BISC traça perfil do voluntariado empresarial nos últimos 12 anos

Qual o histórico, o atual cenário e como maximizar os impactos do investimento social corporativo...

Assine nossa Newsletter:


Newsletter

Contato

Tel:(11) 3372-4313

mail:bisc@comunitas.org.br